OBRIGADO MEU DEUS!

Agradeço a Deus por tudo que tem feito em minha vida. Ele tem me permitido enxergar o Futuro ontem, o Presente antes de ontem e o Passado com o dom da criatividade e da inovação, o de tê-lo apenas como história. A nova orla da Praia do Forte é um exemplo disso. Toda vez que me deparo com o fantasma da perda do petróleo penso: preciso começar a preparar a cidade para o futuro e, como para mim o futuro próximo já é passado, antes de vencer a eleição já trabalhava no projeto da nova orla e em novembro vamos inaugurá-la.

DETALHE: O administrador tem que ter dentro de si o sentimento do povo. Em pesquisa dessa semana 84 % dos cabofrienses escolheu a praia com seu forte o símbolo mais importante de nossa cidade.

Até amanhã!

Alair Corrêa

CABO FRIO, RJ, COMEÇA NO DIA 2 DE SETEMBRO

Maior evento de audiovisual do interior do RJ acontece até 8 de setembro.
Festival terá mostras itinerantes em, bairros e escolas municipais.

Festival de Cinema de Cabo Frio, RJ, promete atrair cinéfilos de toda a região (Foto: Divulgação)

Festival de Cinema de Cabo Frio, RJ, promete atrair cinéfilos de toda a região (Foto: Divulgação)

A partir da próxima semana, Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio, estará recebendo grandes nomes do cinema nacional, para o 7º Festival de Cinema, que acontece de 2 a 8 de setembro, com oficinas de cinema, apresentações de grupos culturais e a exibição de diversos filmes nos principais espaços culturais da cidade.

A abertura oficial do festival acontece na terça-feira (3), às 20h no Centro de Artes Visuais (CAV) com um coquetel e apresentação para convidados do Grupo Parafernalha. As exibições oficiais do festival ocorrem no Leste Shopping, Teatro Municipal, Sala Cultural Carlos Scliar, CAV e Cine Recreio, com entrada gratuita. Diariamente, a partir das 9h, as escolas municipais promovem as exibições do premio “Curta Escola”, uma parceria com a secretaria municipal de Educação.

Com objetivo de expandir o meio cinematográfico e audiovisual na região, para este ano, a organização do evento programou mostras itinerantes em bairros e escolas municipais da cidade, exibindo filmes para todos e proporcionando com isso a descentralização da cultura e uma maior proximidade com o morador da cidade, principalmente para aqueles de comunidades tradicionalmente até então pouco atendidas por eventos culturais.

Filmes até feitos por câmeras de celular

Um dos primeiros festivais nacionais a abrir espaço para os filmes realizados em câmeras de celular e câmeras fotográficas, o festival de Cabo Frio coloca a cidade na vanguarda, além de universalizar o acesso, permitindo que jovens realizadores experimentem as linguagens cinematográficas e não fiquem restritos apenas ao público da grande rede.

Para este ano a grande sensação da mostra será a exibição de longas-metragens realizados em formato digital, fortalecendo o debate que toma conta dos principais centros culturais do país e do mundo, quanto ao futuro do mercado cinematográfico.

O festival conta com o patrocínio da iniciativa privada e tem o apoio da Prefeitura de Cabo Frio,  consolidando o evento como o maior do setor audiovisual do interior do estado.

Informações poderão ser adquiridas com a organização do evento através dos telefones (22) 2648-1111(22) 2643-3629 e no site do festival.

NÃO DÁ PRA COMPARAR!

O ex-prefeito anda DESESPERADO com seu futuro político devido aos múltiplos processos que responde por obras pagas e não terminadas. Obras superfaturadas, compras absurdas como a dos uniformes escolares ONDE FOI MULTADO EM R$2 milhões (dois milhões de reais), ou da vergonhosa compra do peixe MARLIM AZUL, em que a artista plástica que o criou recebeu R$ 13mil (treze mil reais), mas o processo pago pela prefeitura foi de R$ 86 mil (oitenta e seis mil reais), alem das contas de 2012 em que pagou R$ 145 milhões (cento e quarenta e cinco milhões de reais) sem ter os processos empenhados como determina a LEI.

Mas, no feriado da padroeira, o já comprometido ex-prefeito surpreendeu! Desnorteado e preocupado com uma inevitável comparação que haverá sobre as duas administrações (as receitas são iguais, mas, com o agravante de que com o PCCR o nosso GOVERNO, só esse ano, gastará R$ 160 milhões a mais que o dele) certamente, por esse motivo, MM INVADIU o canteiro de obras da Orla que estamos construindo na Praia do Forte. Sabemos ser nosso projeto ousado e de grande investimento. Sendo ainda mais serio para o antigo governo por estarmos com apenas oito meses de administração, enquanto o dele foi de 8 anos e não fez nenhum grande investimento. Claro que isso preocupa muito o ex-prefeito. O que de certa forma é compreensível, por levar o povo a dura realidade da comparação. A partir de então, virá a indagação: por que um prefeito com tempo e dinheiro a MENOS está fazendo MAIS do que o outro que teve mais DINHEIRO e mais TEMPO? Essa inquietação o levou a invadir a nossa obra na orla, pois, ele queria ver com os próprios OLHOS para ter certeza de que seria ou não verdade o que venho falando: que estamos construindo a ORLA MAIS LINDA DO PAÍS.

É um perigo para o político quando acaba seu governo e é substituído por alguém que trabalha mais, que se dedica inteiramente a administração e que aplica com justiça e competência os recursos do povo. Isto já aconteceu com Ivo Saldanha e Zé Bonifácio os quais substituí. O Bonifácio em 1996, que embora tivesse sido um prefeito correto, não soube administrar e morreu politicamente em nossa cidade. Por isto, o político MM teve a preocupação em querer ver a obra in-loco e deve agora estar se lamentando e dizendo: por que não fiz, porque joguei tanto dinheiro fora e pelo ralo?

Eu entendo a curiosidade dele, mas agora só resta “chorar o leite derramado”. A comparação é inevitável e não adiantou ter criado com o PCCR uma despesa de quase R$200 milhões a mais por ano para o nosso governo, isto não será empecilho para a ADMINISTRAÇÃO que faremos. Serão tantas obras e AÇÕES SOCIAIS, que iremos, mais uma vez, REVOLUCIONAR o conceito de Administração Pública. É só aguardar.

E, para evitar sua exposição entrando escondido em nossas obras, vamos lhe enviar uma cópia do projeto completo de todas as obras, e, assim, você constatará o que o povo já sabe: Cabo Frio agora tem um Prefeito de Verdade.

Alair Corrêa

ANIMAIS SERÃO COLOCADOS PARA ADOÇÃO NESTA QUARTA-FEIRA EM CABO FRIO, RJ

Imagem da última feira de adoção de cães realizada em Cabo Frio, em julho (Foto: Heitor Moreira/G1)

Imagem da última feira de adoção de cães realizada
em Cabo Frio, em julho (Foto: Heitor Moreira/G1)

0 Animais serão colocados para adoção nesta quarta-feira em Cabo Frio, RJ Serão 120 cães e gatos disponíveis em uma tenda na Praça Porto Rocha. Animais adotados poderão ter acompanhamento gratuito por toda a vida.

Será realizada nesta quarta-feira (21) a segunda edição da Feira de Adoção do Canil Municipal de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio. Serão 120 animais, entre cães e gatos, disponíveis para adoção na tenda que será montada na Praça Porto Rocha, no Centro da cidade, das 9h às 17h.

Os interessados devem ter mais de 18 anos e precisam apresentar identidade, CPF e comprovante de residência. Segundo informações da secretaria municipal de Agricultura, que organiza a feira, ao todo estarão disponíveis 100 cachorros e 20 gatos, todos já castrados e vacinados.

A prefeitura informou ainda que os animais adotados poderão ter acompanhamento gratuito dos veterinários do canil municipal durante toda a vida, bastando que os adotantes levem os animais à sede do canil, na Fazenda Campos Novos, no Segundo Distrito.

Fonte: G1

CABO FRIO, REGIÃO DOS LAGOS, PROMOVE EVENTO PARA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA

Cabo Frio, RJ, promove evento para população em situação de rua Data nacional é comemorada com ações no no Largo Santo Antônio. Serão realizadas atrações musicais e serviços para a população.

Esta quarta-feira (21) é o “Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua” e prefeitura de Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio, decidiu realizar um evento para marcar a data, com várias atrações.

A mobilização vai acontecer no Largo Santo Antônio, das 9h às 16h. A programação contará com apresentação da Orquestra Lírio dos Vales, capoeira, com os adolescentes do Cras Manoel Corrêa ; dança de salão, hip-hop e apresentação de balé com alunos do Cras Monte Alegre.

Tendas também serão montadas para oferecer cortes de cabelo; aferição da pressão arterial e glicose, e informações sobre doenças sexualmente transmissíveis.

Fonte: G1

EX-PREFEITO É CONDENADO PELA JUSTIÇA POR SUPERFATURAMENTO NA COMPRA DE UNIFORMES

A cada dia os escândalos vão pipocando e vemos o quanto foi ruim para o nosso POVO o DESGOVERNO Marquinho Mendes. Sim muito ruim! Sobretudo, pelos estragos que causaram em nossa cidade. Eu diria até que foi muito mais do que uma tempestade, pois nessa, o vento, a areia e a chuva estão traduzidos em desmandos, desperdícios e falta de vergonha. A saúde totalmente sucateada, a educação com suas compras, vergonhosamente, superfaturadas, além da total falta de preocupação com o saneamento básico que dariam fim às valas negras. Agora mesmo foi CONDENADO PELA JUSTIÇA a devolver mais de R$ 2 milhões (dois milhões reais) aos cofres públicos por compra irregular de uniformes. Com isso, conseguimos entender sua atitude tomada em dezembro de 2012, seu ultimo mês de desgoverno, onde SURPREENDENTEMENTE entregou aos mais de 30 mil alunos da Rede Municipal os uniformes escolares. O seu último gesto quando faltavam poucos dias para a posse do novo prefeito (gastando R$ 1 milhão em uniformes) foi por todos analisado e questionado. Afinal, o que o havia levado a gastar com essa compra? Nobreza, consideração ao adversário e substituto, princípios éticos? Sei lá! Só sei é que mais de 200 prefeitos brasileiros foram condenados e muitos deles cassados, exatamente, por superfaturamento em compras de mochilas e uniformes. Eles adoçaram a boca das crianças com as roupas e mochilas novas, enganaram os pobres pais com esses presentes de grego, ganhando então dinheiro e votos.

O resultado desse crime, descoberto agora, foi vermos NOSSA AMADA CABO FRIO ser destaque negativo no IDH – Índice de Desenvolvimento Humano. Ao sair do Governo em 2004 passei para ele uma cidade com destaque no IDH. Cabo Frio era a 10ª colocada entre os 92 municípios do Estado. Agora, por causa das valas negras que não eliminaram; por causa da saúde e educação que não cuidaram; por causa do desperdício do dinheiro do povo e do desgoverno que, Graças a Deus, já ficou para traz; assistimos, perplexos e surpresos, nossa cidade tão rica em arrecadação passar para o 18º lugar, tendo caído oito posições. Uma vergonha que só é menor do que a própria administração que vimos nesses oito anos e que levou a nossa cidade ao empobrecimento. Sua ultima CONDENAÇÃO pela compra desses uniformes, apenas nos remete a uma profunda reflexão e pergunta: Por que fizeram tão mal a nossa cidade e ao nosso povo?

Alair Corrêa

TORCIDA EMPURRA, BRASIL SOFRE, MAS VENCE A ARGENTINA E LEVA 29º TÍTULO

Acolhido pelos fãs em Cabo Frio, time de Bernardinho faz 3 sets a 2 nos hermanos e carimba passaporte para a Copa dos Campeões, no Japão

Desde o momento em que a delegação do Brasil chegou a Cabo Frio, na Região dos Lagos, para a disputa do Campeonato Sul-Americano de vôlei, a torcida local fez questão de abraçá-los. A cada jogo, uma festa. A cada saída para o vestiário, uma verdadeira sessão de fotos e autógrafos. E neste sábado a comemoração no ginásio Alfredo Barreto foi ampliada: o time de Bernardinho sagrou-se campeão ao vencer justamente seu maior adversário na América do Sul, a Argentina, por 3 sets a 2, parciais de 19/25, 25/20, 25/19 e 24/26 e 15/10, num jogo que em nada pareceu os que foram disputados até então contra Paraguai, Colômbia e Chile na competição.

Se nas partidas anteriores o Brasil teve muita facilidade, marcando 3 sets a 0, os argentinos foram dureza e souberam aproveitar as falhas brasileiras, apesar das sonoras vaias que vinham das arquibancadas. Depois de um primeiro set dos hermanos, o Brasil venceu os dois seguintes, perdeu o quarto, que já parecia em suas mãos e, empurrado pela sua torcida no ginásio, levantou o caneco.

Jogadores da seleção brasileira de vôlei festejam título no pódio (Foto: Divulgação/CBV)Jogadores da seleção brasileira de vôlei festejam título no pódio (Foto: Divulgação/CBV)

Jogadores da seleção brasileira de vôlei festejam título no pódio (Foto: Divulgação/CBV)

A caminhada que começou na cidade litorânea do Rio de Janeiro continuará no Japão, no fim do ano, na Copa dos Campeões, e em 2014, no Mundial da Polônia, já que a equipe canarinha se garantiu nas duas competições. Os hermanos estão apenas na segunda.

A seleção brasileira é a maior vencedora do torneio japonês, com três títulos e dois vices. A conquista do Sul-Americano é a 29ª do Brasil em 30 edições do torneio. A única que não participou, em 1964, foi vencida justamente pelos adversários deste sábado, que eram os anfitriões na ocasião.

O jogo

O ginásio, que tem capacidade para 3.200 pessoas, transformou-se um verdadeiro caldeirão, desde o momento da execução do Hino Nacional até a primeira bola do jogo, sacada por Sidão, com força no fundo. As vaias foram grandes quando Bruno Romanutti bateu em cima do bloqueio de Lucarelli marcando 1 a 0. Na sequência, Leandro Vissotto empatou numa bela cortada pela direita, sem chances para Uriarte. A torcida foi ao delírio, mostrando o contraste que teriam as reações até o fim do jogo a cada ponto brasileiro e argentino.

Um dos melhores lances do primeiro set foi no quarto ponto da Argentina. Depois de um rali bonito, com muitas reviravoltas, os hermanos marcaram 4 a 2. Os balões infláveis pareciam tambores ensurdecedores, mas o efeito não era o esperado.  O adversário jogava com seriedade, e o Brasil errava muito, como quando Vissotto mandou uma bola para fora no 8 a 4 dos visitantes. Bernardinho demonstrava impaciência com o jogo que relutava a encaixar. Ele abria os braços, dava orientações, xingava em alguns momentos e lamentava as falhas.

Mário Junior foi sacado pelo comandante e tomou uma chamada no banco de reservas. Romanutti desperdiçou um saque na rede. A torcida vibrou, mas parecia um pouco mais contida diante da atuação brasileira, abaixo do normal, até que Wallace acertou uma bonita bola pela direita. Em seguida, os argentinos tentaram de segunda, o bloqueio estava esperto e não caiu na jogada. Sidão, com as duas mãos, colocou a bola perto da linha, no fundo da quadra, reduzindo para 18 a 13. O camisa 12, Lipe, entrou para sacar com 20 a 16 no placar e ganhou o apoio dos fãs, mas os argentinos conseguiram pontuar. Lucão marcou, mas Vissotto errou um saque na rede em seguida. Mesmo com o apoio, o jogo do Brasil não entrava. E os hermanos não quiseram nem saber, fechando a parcial em 25 a 19.

– Acho que jogamos muito bem, pois a pressão estava toda do lado deles, que precisavam ganhar em casa. Demonstramos um bom nível, não saio contente, já que perdemos, mas o Brasil é a melhor seleção do mundo, está de parabéns. Precisamos de mais finais como essa para evoluir. Foi um grande jogo – relatou Quiroga, destaque da Argentina.

Bruninho, Sidão e Lucarelli na conquista do Sul-Americano contra a Argentina (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

Bruninho, Sidão e Lucarelli na conquista do Sul-Americano contra a Argentina (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

A chamada de Bernardinho aos atletas foi grande antes do início do segundo set. Ele gesticulou e orientou seus comandados, parecendo nervoso. A torcida estava quieta. O Brasil recomeçou o jogo na frente, abrindo 5 a 3 com uma boa bola de Sidão. Em seguida, Mário Júnior levou uma pancada no peito, e a Argentina encostou. Nervosos, os fãs até esqueciam de chamar os nomes de Bruninho, Lucarelli & cia. quando eles iam sacar como normalmente fazem. As vaias aos hermanos continuavam, mas eles não pareciam estar nem aí e empataram em 8 a 8.

O time brasileiro ainda parecia um pouco nervoso. Os argentinos estavam mais tranquilos apesar do ambiente adverso. No treinamento pela manhã, o próprio técnico Javier Weber havia afirmado que o objetivo dos hermanos, que era a vaga no Mundial, já estava alcançado e, por isso, o time jogaria sem pressão. O Brasil conseguiu emplacar quatro pontos de vantagem, em 17 a 13, quando alguns ataques começaram a funcionar.

A Argentina, atrás no placar, apostou em Quiroga, que jogou a última temporada da Superliga pelo Minas, mas fechou recentemente com o Maringá, time do levantador Ricardinho. O camisa 9 foi bem quando acionado, e levou a Argentina ao 15º ponto com um toque sutil pelo meio. Mas a torcida voltou a festejar como no início do jogo quando o Brasil marcou com uma pancada de Wallace pela direita. O jogador também pareceu entrar no espírito das arquibancadas e celebrou com euforia.

Sidão deu um toque magistral no ponto seguinte após um levantamento muito para fora de Bruninho, enganando os rivais: 21 a 17. Na sequência, o levantador brasileiro acertou, e Dante cravou o 23 a 19. O 24º ponto veio em um lance polêmico em que os argentinos, segundo a arbitragem, invadiram a quadra brasileira. E, no fim, parcial a favor dos brasileiros em 25 a 20.

No bloqueio, Bruninho e Sidão foram destaques  do Brasil na partida (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

No bloqueio, Bruninho e Sidão foram destaques
do Brasil na partida (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

Com a vitória no segundo set, a torcida voltou animada para o terceiro. As batidas de balões infláveis voltaram no ginásio Alfredo Barreto, assim como a cantoria. Wallace estava bem pela direita e ajudou o Brasil a empatar. Mas Quiroga, em uma linda deixadinha que deixou a defesa brasileira no chão, abriu 4 a 2. Na sequência, o camisa 9 foi hostilizado demais em seu saque e mandou para fora.

O Brasil encaixou alguns ataques e, enfim, virou. A jogada mais importante foi a que colocou 7 a 5 no placar a favor dos brasileiros. Quiroga, mais uma vez, deu uma deixadinha. Mas Mário Júnior estava esperto e deslizou demais para salvar a bola. Na sequência, um grande rali foi travado, e o ponto do Brasil foi marcado no bloqueio simples de Sidão, que foi para perto da torcida e deu socos no ar, bastante empolgado. A torcida passou a cantar: “Brasil, Brasil, Brasil”, e o time de Bernardinho parecia no controle da situação.

Sidão estava bem no jogo. Afinal, ele prometeu o título à noiva Dani Lins no início da competição e precisava sair campeão. O camisa 5 recebeu de Bruninho para marcar o 11 a 7 do Brasil, com um ataque curto pelo meio. Depois, voltou a celebrar com força quando acertou um ace: 12 a 8. Wallace também mostrou a que veio, partindo de trás para pontuar o 13º do Brasil, com o argentino Solé escorregando perto da rede, reclamando da quadra estar molhada.

A torcida pegava no pé de todos os argentinos, mas Quiroga sofria mais. As vaias eram mais altas quando ele ia para o saque. O camisa 9 mandou uma bola forte, mas o Brasil armou um contra-ataque pela direita com Wallace e fez 15 a 11. Dante encheu a mão para fazer o 16º pelo lado oposto da quadra.

O ponto seguinte veio com bloqueio do camisa 4 da seleção pela esquerda. Wallace, que também estava bem como Sidão, fechou o jovem Kukartsev, de 19 anos. O argentino ficou no chão irritado com o ponto perdido. Sem intenção, ele deu o troco, acertando uma pancada em sua cabeça na sequência. A bola voou para o alto do ginásio. Ele até pediu desculpas para Wallace que, fez 20 a 15 em nova cortada pela direita mais tarde.

O atacante brasileiro continuou bem, marcando o 22º, em uma reprise de seus pontos até então. Ele só não conseguiu segurar o ataque argentino na sequência, falhando na manchete. Quando Bruninho foi para o saque com 24 a 19 no placar, ouviu as batidas dos balões infláveis, os gritos e contou com Dante no bloqueio para fechar em 25 a 19.

O jogo parecia equilibrado no início do quarto set, com argentinos e brasileiros alternando pontos e falhas. O camisa 12, Federico Pereyra, vibrou demais com uma pancada que deu em cima do bloqueio triplo com Sidão, Wallace e Bruninho, marcando 6 a 5. A Argentina seguiu na dianteira na sequência, mesmo com a torcida vaiando. Lucarelli enganou o bloqueio hermano pela esquerda, dando um toquinho no chão. Sidão conseguiu mais um ace e começou a ouvir seu nome sendo gritado quando empatou em 7 a 7.

A virada veio em bloqueio duplo de Lucão e Lucarelli pela direita, frustrando a tentativa de Pereyra. O técnico Javier Weber pediu tempo técnico, ajustou algumas falhas e os argentinos melhoraram, virando em 14 a 12. A torcida percebeu que os comandados de Bernardinho precisavam de auxílio e cantou: “Eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor”. O empurrão ajudou, e o Brasil conseguiu o empate em 15 a 15 com Wallace.

Sidão foi para o saque ovacionado pelo que já havia feito na partida até então, mas botou para fora. Bruninho e Wallace saíram para as entradas de William Arjona e Leandro Vissotto. Lucão pontuou, e os hermanos erraram o ataque seguinte, deixando Brasil com 18 a 17.

Mais tarde, com o placar em 20 a 20, o 21º ponto veio no grito dos brasileiros, beneficiados pela decisão da arbitragem em um lance polêmico em que Quiroga parece ter tocado com a mão esquerda na quadra brasileira. A torcida não quis nem saber e já comemorava. O técnico da Argentina e seu assistente, o lendário ex-jogador Marcos Milinkovic, ficaram revoltados com a marcação. Weber levou uma advertência, e o Brasil, o ponto.

A torcida gritou “é campeão” seguidas vezes, mas a Argentina não queria deixar, e adiou a conquista brasileira por mais um set, fechando a parcial em 26 a 24 para a irritação dos presentes e a comemoração da comissão técnica argentina.

Com os nervos à flor da pele, a seleção brasileira, que não esperava ser surpreendida pela Argentina dessa maneira, precisou ainda mais dos torcedores. E também de concentração. Bernardinho conversou com seus atletas. E a reunião no canto da quadra adiantou. O Brasil abriu 6 a 3, corrigindo algumas falhas.

Jogadores da seleção de vôlei comemoram título Sul-Americano com peixinho (Foto: Divulgação/CBV)

Jogadores da seleção de vôlei comemoram título Sul-Americano com peixinho (Foto: Divulgação/CBV)

Em seguida, dois erros alternados de saque, um de Dante , pelo Brasil, e um de Kukartsev, pela Argentina. Na sequência, ataque implacável de Lucão pelo meio, sem chances para os rivais. O Brasil abriu 9 a 4 quando Quiroga errou uma bola de ataque, mandando na rede, e depois fez uma expressão mostrando que o cansaço começava a bater. Quando o jogador foi para o saque, uma espécie de replay dos outros sets. Vaias sonoras para o camisa 9. Mas, desta vez, ele não sentiu a pressão, e Pereyra aproveitou o ataque para marcar.

O Brasil precisou de Wallace, que, novamente, chamou a responsabilidade para si pela direita e vibrou demais ao marcar em uma bonita diagonal. Lucão foi para o saque, mandou forte, mas os argentinos contaram com a sorte. No contra-ataque, a bola resvalou no bloqueio brasileiro antes de sair: 11 a 7.

A torcida estava nervosa e só conseguiu manter as vaias para os argentinos. Estava difícil retomar a cantoria. O ponto de Wallace, desta vez, foi pela esquerda, para aliviar um pouco o clima tenso no ginásio. Sidão recebeu de Bruninho e bateu forte, colocando 13 a 9 no placar. Ele foi para o saque e conseguiu mais um ace, levando os fãs à loucura. Mário Júnior, que estava no banco, pediu mais ajuda dos brasileiros. E eles corresponderam, fazendo barulho e empurrando o time no ponto final, marcado por Lucão: 15 a 10.

Confira a tabela completa e os resultados do Campeonato Sul-Americano:

Terça-feira, 06/08
Argentina 3 x 0 Chile (25/20, 25/12 e 25/23)
Brasil 3 x 0 Paraguai (25/7, 25/9 e 25/5)

Quarta-feira, 07/08
Chile 3 x 1 Paraguai (22/25, 25/16, 25/20 e 25/21)
Brasil 3 x 0 Colômbia (25/15, 25/18 e 25/12)

Quinta-feira, 08/08
Colômbia 3 x 2 Chile (18/25, 25/17, 23/25, 25/22 e 18/16)
Argentina 3 x 0 Paraguai (25/13, 25/10 e 25/15)

Sexta-feira, 09/08
Argentina 3 x 0 Colômbia (25/17, 25/9 e 25/17)
Brasil x 0 Chile (25/19, 25/19 e 25/17)

Sábado, 10/08
Colômbia 3 x 0 Paraguai (25/23, 25/13 e 25/15)
Brasil x 2 Argentina

Fonte: Globo Esporte