QUE VERGONHA

O SEPE conseguiu ontem sequestrar todo o dinheiro das contas da prefeitura, R$ 2.700 milhões, sendo R$ 600 mil das contas de salários pra pagamento de pessoal e na decisão da justiça tudo que for entrando ate atingir 10 milhões de reais ter utilizado os outros 9.000 servidores que não são professores para atingir seu anti-democrático objetivo a do professor receber o salário antes dos outros servidores! Só que para conseguir isso judicialmente se utilizou os outros 9.000 servidores das demais categorias fortalecendo seus protestos junto ao povo e aos promotores e juízes. O SEPE fez os colegas de outras secretarias invadirem os prédios públicos como Câmara e Prefeitura, fez enfermeiros não dar plantão, estimulou os garis a espalhar lixo pelas ruas da cidade cidade, os coveiros a sepultarem os que morriam na cidade. Mas ontem a máscara literalmente caiu ao ingressar na justiça e ter conseguido bloquear e sequestrar tudo o que tinha nas contas, inclusive nas transferências federais que não podia gastar com funcionários. Dessas contas o arresto foi de R$ 2.000 milhões e 600 das contas normais de pessoal.

PROCUREMOS ENTENDER AS AÇÕES DO SEPE

Sepe proíbe entrada dos funcionários de Secretaria Municipal de Fazenda

Qualquer sindicato quando faz um movimento e decreta um estado de greve, o faz porque reivindica direitos. Nessas greves do SEPE o que eles dizem pleitear:

 – Salários em dia;
 – Restante do 13º salário;
 – 1/3 de Férias.

Nós do Governo ainda não os atendemos porque não temos conseguido uma arrecadação que nos permita cumprir com nossos servidores as reivindicações e nunca dissemos que não pagaremos.

Então vem o seguinte questionamento: O EMPRÉSTIMO! Todas as câmaras votaram os de suas cidades, já em Cabo Frio os grevistas tomaram de assalto a Câmara agredindo os Vereadores e impediram a votação. A pergunta é: se o empréstimo seria para pagar o devido ao funcionalismo mas o sindicato impede a entrada de um dinheiro que seria também para eles, ELES QUEREM MESMO RECEBER?

♦ ARRECADAÇÃO

Nos últimos dias eles invadiram o prédio da Secretaria de Fazenda. Após serem expulsos pela JUSTIÇA, ocuparam a ENTRADA do prédio e não deixam as pessoas entrarem para pegar suas guias e pagar nos bancos os seus débitos. Se eles impedem que as pessoas paguem seus impostos, perguntemos: ELES QUEREM MESMO RECEBER?

É óbvio que, para eles, o atraso no pagamento é mais importante do que receber, deixando claro que o motivo da greve é politico, se não eles não ficariam contra aumentar a arrecadação do município.

O DIÁLOGO É FUNDAMENTAL

Os pais dos alunos fizeram uma manifestação pacífica em frente a Sede da Prefeitura, bem diferente das realizadas pelo Sepe. A manifestação tinha intuito de uma conciliação entre o Governo e o Sindicato. Dando aula de civilidade no Sepe, os pais buscavam diálogo e não briga política. Recebi um grupo de pais de alunos do Rui Barbosa e o diálogo aconteceu! Pediram que eu fizesse uma exposição sobre a situação, pois não aguentavam mais ver os filhos sem aula. Então fiz uma explanação sobre tudo, o valor da folha da educação, mostrei balancetes de arrecadação dos meses atuais e dos anteriores à Crise do Petróleo, relatei sobre o estrago feito pelo PCCR nas contas por ter sido adotado de uma só vez, falei da dificuldade de diálogo com o Sepe, falei que os salários nunca deixaram de serem pagos a mês a mês, mesmo tendo trabalhado dois meses em oito de greve.

Ao final disse aos pais  o que devemos a eles, relatando: são duas parcelas das cinco do Décimo Terceiro, 1/3 das férias!  Solicitaram que eu fizesse um esforço para acabar com a greve apesar de minhas dificuldades.

Respondi: O que mais desejo é por um fim nessa situação, tenho feito grande esforço para pagar os salários dos servidores, só Deus sabe o quanto tem sido difícil. As reivindicações do Sepe como prioridades são:

a) Pagamento de duas parcelas que faltam do 13 salário;
b) Pagamento de 1/3 das férias;
c) aposentadorias para os que desejam parar de lecionar;
d) Vale transporte;
e) pagamento até o primeiro quinto dia do mês.

Como não posso resolver esses casos agora, sugiro aos senhores pais que conversem com os diretores do sindicato para acordarmos o seguinte: SALÁRIOS! Eles já sabem que a maior parcela do Fundeb e Icms chega no meio do mês e que, enquanto estivermos com a arrecadação em baixa, precisarei continuar pagando os salários até 15 dias do vencimento como nunca deixamos de fazer. Conceder um tempo de, até dois meses, para pagarmos as duas parcelas que faltam do décimo terceiro salário e 1/3 das férias. Para os professores em tempo de aposentadoria aplicarmos a Lei: pagando o percentual a que têm direito enquanto aguardam o Ibascaf aposentá-los. (Aposentar agora 50 professores implicaria em ter que contratar para seus lugares outros 50). Se a prefeitura já tem dificuldades para pagar 50 como vai conseguir pagar a 100? O vale transporte já foi pago quarta-feira.

Os pais ficaram satisfeitos com a reunião  pois conheceram a real situação da prefeitura e encontraram um prefeito diferente do que o Sepe fala, disposto a resolver e que dialoga. Falei na saída para eles: Não se entusiasmem pois terão dificuldades, encontrarão um Sepe com dirigentes que, na verdade, não querem o fim dessa greve, por isto que postei ontem que pagarei a quem trabalhou. Estava adivinhando,  porque o que esses pais vem apanhando dos professores ligados ao sindicato por terem dialogado comigo é de deixar qualquer um estarrecido.

ASSEMBLÉIA DO SEPE

Ontem aconteceu a assembléia do SEPE e eles resolveram manter a greve. ESTÃO QUERENDO BRINCAR UTILIZANDO OS NOSSOS ALUNOS. ESSA PROPOSTA DE ONTEM É A MESMA JÁ APRESENTADA E REJEITADA POR NÓS EM OUTRAS NEGOCIAÇÕES A DE RECEBER ATÉ QUINTO DIA, O GOVERNO JÁ LHES DISSE VÁRIAS VEZES, A ÚLTIMA FOI NA CÂMARA COM MINHA PRESENÇA, QUE A PREFEITURA ATÉ CONSEGUIR UM RECURSO EXTRA SÓ PODERÁ PAGAR O SALÁRIO NA TERCEIRA TERÇA FEIRA DE CADA MÊS POR SER O DIA EM QUE OS GOVERNOS ESTADUAL E FEDERAL TRANSFEREM À PREFEITURA AS MAIORES PARCELAS DO ICMS E DO FUNDEB.

Devido a decisão de ontem não conseguiremos iniciar as aulas no dia 15/3 como esperávamos, pois os nossos quase 40 mil alunos continuarão sem poder se matricular. Essa greve, como todos sabem, dura quase três meses e mesmo assim os professores recebem o salário do mês em casa, pois o governo pagou integralmente seus salários, sem descontar um centavo de qualquer um dos grevistas. Ainda assim, resolveram sacrificar ainda mais nossas crianças mantendo essa greve. Pagamos para mostrar o nosso respeito pelas decisões das assembléias, como a de ontem com 30 professores decidindo em nome de milhares de servidores.Repetindo, mesmo com uma crise financeira sem precedentes pagamos a quem não trabalhou por 90 dias.

Infelizmente os professores não se preocuparam com os nossos alunos, deixando-os sem a correção das provas, impedindo suas matrículas, isto puramente por maldade e pirraça dos dirigentes do SEPE. Por entendermos que o sindicato passou dos limites em sua intransigência, informamos que, a partir de agora, não seremos mais tolerantes como antes com os professores e o SEPE porque o sindicato não está tendo respeito algum para com à nossa população e os direitos dos nossos alunos. Ainda assim, convidamos a todos os professores para se apresentarem em suas escolas e concluírem o ano de 2015, pois essa ausência tem sido danosa na vida dos quase 40 Mil alunos da rede municipal de ensino. Lembramos que o Tribunal determinou a volta dos professores as escolas desde o dia 2/2 . Hoje já é dia 1º de Março e eles descumpriram a ordem judicial. A desobediência à justiça nos tira também obrigações para com os grevistas. Portanto hoje é dia 01/03 /2016 e, se os mesmos não retornarem às escolas estão cientes de que os alunos continuarão prejudicados pela greve, e nos levará, como governo, a ter outra postura em relação ao movimento grevista e, principalmente, com os nossos servidores que nos últimos três meses receberam sem trabalhar dando um prejuízo a cidade de aproximadamente R$ 40.000.000,00 QUARENTA MILHÕES DE REAIS, e um prejuízo social maior ainda: o de deixar 40.000 ALUNOS SEM AULAS.

UM POBRE ESBOÇO DE ESTRATÉGIA

► Por Walter Biancardine

Aos poucos, uma atônita e desorientada oposição tenta se recompor e traçar uma estratégia contra o surpreendente anúncio do prefeito Alair Corrêa, que afirmou ser pré candidato em outubro.

Sem obedecer orientações superiores, Moacir Cabral largou na frente e esboçou uma tímida contestação, qualificando a decisão de Alair como “cortina de fumaça” feita apenas para puxar votos para seus aliados, na vereança.

Com a demora dos “chefões” em orientar seus subordinados, o blogueiro Rafael Peçanha resolveu falar também e seguiu os argumentos de Cabral, acrescentando infantilmente – como é próprio de sua imaturidade – um banal “desafio” ao prefeito, “apoiando” sua decisão pois quer vê-lo ser “massacrado nas urnas”.

Correndo por fora, o também blogueiro Chicão julgou os argumentos de Cabral como válidos e publicou sua concordância com os mesmos.

Ora, tal argumento é de uma estupidez monolítica: quer dizer então que Alair, 46 anos de vida pública, 4 mandatos de prefeito, ex-deputado e único político a se reeleger tantas vezes como chefe do Executivo transformou-se em “cabo eleitoral de luxo”, segurando faixa para atrair votos para seus aliados?

É nivelar a inteligência dos cabofrienses á altura de tamanduás; ainda mais acrescentando a insinuação que tal “estratégia” seria sua “sobrevivência no poder”. Sem querer, Cabral e os que enveredaram na mesma toada assinaram recibo de que – eles sim – raciocinam como o focinhudo bichinho.

Em termos mais cotidianos, o principal tema que julgam ser o “ponto fraco” da atual gestão são suas dificuldades financeiras. Tentam substituir a crise – criada pela roubalheira de seus superiores partidários e ideológicos – por uma suposta “incompetência” do prefeito no trato com a coisa pública.

Ora, aquilo que erradamente escolheram para bater é justamente o ponto onde Alair mais pode se orgulhar: mesmo com uma inacreditavelmente brutal queda de 90% na arrecadação – em termos empresariais, levaria à demissão em massa, falência e caos até mesmo poderosas multinacionais – nenhuma escola foi fechada; mesmo estabelecimentos de ensino do nível médio, que não são obrigações municipais, permaneceram sob a tutela da cidade e com o pedido explícito do SEPE/Lagos, ainda que travestido em mais um “protesto”.

Na área da saúde, igualmente nenhuma baixa foi registrada – pelo contrário, tivemos a total reformulação do HCE, reaparelhado e substituindo com folga o verdadeiro presente de grego chamado UPA, maliciosamente plantado por intragável desafeto político, Sérgio Cabral. O sistema de saúde de Cabo Frio não só permanece ileso como continua sendo o principal responsável pelo atendimento de pacientes oriundos de todas as cidades da vizinhança.

Quanto ao pagamento de salários, estão todos quitados. Atrasos sim, constantes, mas considerando que municípios vizinhos simplesmente demitiram – o jornal O Globo, em matéria deste domingo, afirma que até concursados foram exonerados pela crise em cidades vizinhas – devemos ter em mente que Alair conseguiu verdadeiras mágicas, no sentido de preservar empregos. (veja a notícia)

Mesmo com a brutal redução da máquina administrativa, ou até por causa disto – apenas 9 secretarias subsistem – eventuais falhas e deficiências acontecem. É o que resta para a oposição criticar: uma coleta de lixo que não houve, um buraco na rua sem reparos ou mesmo a ausência de Guardas Municipais em acontecimentos pontuais.

Agora é a hora de invertermos o infantil desafio do rapaz blogueiro: poderiam eles conseguir tudo o que Alair conseguiu e ainda fazer melhor? Pois que tracem uma estratégia realista, válida e decente, e nos convençam, então.

Prometer é fácil. Falar besteiras, mais ainda.

31 DE MARÇO

Lembro-me desse dia quando me encontrava dentro da Câmara, que foi nossa última trincheira na defesa da democracia na luta contra os golpistas. Hoje só falam em militares, mas a direita em Cabo Frio era atuante e os filhos dela eram piores do que os próprios militares, embora tempos depois ocupassem os partidos de esquerda porque sentiram que o regime militar não duraria muito tempo. De dentro da Câmara eu os via na Av. Assunção movimentando-se e torcendo contra os sindicalistas esperando que os militares tomassem o poder; já nós, filhos dos socialistas, comunistas ou sindicalistas sempre acreditamos na vitória do povo e ouvindo as notícias pela rádio Mauá, naquele momento, a única emissora que falava a verdade para os trabalhadores.

A rádio anunciava a vinda do Terceiro exército do Rio Grande do Sul para o Rio de Janeiro para defender com os tanques a manutenção do presidente João Goulart.

Hoje, nós que participamos daquele histórico momento, com risco de nossas vidas, ficamos perplexos com os historiadores de plantão, aqueles que nunca fizeram nada pela liberdade, postar artigo em seu blog tentando mostrar uma postura democrática que não têm. Por exemplo, um deles ao escrever hoje um artigo sobre aquele acontecimento histórico o fez como se dentro dele mesmo não tivesse o ranço da hipocrisia e do autoritarismo por atos nada nobres cometidos contra o povo, o direito e a lei. Como pode alguém tentar se passar por democrata se na verdade cometeu crime contra a democracia, sim porque democrata antes de qualquer coisa cumpre a constituição vigente e ela preconiza que os recursos do povo não podem ser usados em beneficio próprio.

Qual a diferença de um professor fantasma que usurpa seus colegas, recebendo salário sem cumprir suas tarefas, para um militar que tortura alguém? Torturar um trabalhador para dele tirar as informações, dói menos do que tirar o alimento de uma criança? Perguntemos então ficar em casa durante um ano inteiro recebendo salário sem trabalhar não é o mesmo que tirar o direito do saber de uma criança ? Isto também não é torturar uma mãe ou um pai por ver o filho sem aprender? Ao tentar com o seu blog fazer o leitor acreditar que nosso governo é opressor principalmente porque pôs um fim no recebimento ilegal do seu salário por não ter trabalhado; pode esse cidadão ter autoridade ou moral para criticar alguém que, como governante, o puniu com a Lei que finge defender?

Dos que hoje fazem política e fizeram parte daquele momento histórico e que são poucos, eu fiz parte com minha família.

Alair Corrêa
Prefeito