A CORAGEM DE GOVERNAR

POR WALTER BIANCARDINE

Talvez a maneira mais fácil de um governante conseguir, a curto prazo, índices elevados de popularidade seja adotar as medidas mais fáceis e demagógicas, amparado no discurso de que “a voz do povo é a voz de Deus” e pervertendo o conceito de democracia, no qual o poder emana do povo, em seu nome é exercido, porém – detalhe por vezes esquecido – com um único administrador, que além de recolher o bônus ou ônus de suas ações, conduzirá seu povo á dias melhores ou á catástrofe.

Nem todas as medidas populares podem ser adotadas sem que acarrete prejuízos imediatos ou posteriores. Muitas vezes decisões duras são necessárias para que se preserve o interesse da coletividade, e é com os olhos voltados á esta última que o governante toma suas decisões.

Uma das grandes tolices da oposição é adotar o discurso fácil e tentar aproveitar-se destas medidas duras para criticar a atual gestão ou mesmo marcar pontos em futuras eleições. O tempo é senhor da razão e não é necessário esperar muito para perceber o acerto de se adotar algumas medidas amargas.

É preciso coragem e certeza de seus atos para promover as mudanças propostas pelo Prefeito Alair Corrêa. Todos sabemos que coragem jamais faltou á Alair e a certeza de seus atos provém não só de sua vastíssima experiência como administrador como também por uma simples questão matemática: com a queda brutal na arrecadação decorrente da paralisação da plataforma P-53, uma singela conta nos permite concluir que a folha de pagamento ultrapassará, de muito, o percentual permitido por lei. Do mesmo modo, existem prioridades, compromissos de campanha – a palavra dada por Alair que sempre valeu como documento escrito – relativas ás obras de melhorias no Segundo Distrito, Jardim Esperança, bem como a atenção ás áreas de saúde, educação e assistência. Nestes setores a Prefeitura continua investindo forte, criando uma nova Tamoios, levando dignidade á locais esquecidos nos últimos anos como Jardim Esperança e marcando a presença desta gestão em cada palmo de nosso município.

Ora, o bem estar de mais de 200 mil almas não pode ficar abaixo dos serviços prestados pelas pessoas de confiança do Prefeito, por mais necessárias que sejam. E esta é uma decisão que, para tomá-la, é preciso ter muito peito pois é cortar a própria carne.

Sem perder o discurso fácil da oposição de vista, curiosamente percebemos que por vezes o destino – por mais duro que possa parecer – nos ensina e prova o acerto de decisões corajosas de maneira inegável. Explicando: adversários inconformados bateram duro nas obras da nova orla da Praia do Forte, alegando que são desnecessárias, desperdício de dinheiro, entre outros argumentos de pouca envergadura. Pois bem, o acaso tratou de provar o acerto de Alair, que sempre pregou a necessidade de preparar a cidade para o pós-petróleo, através do turismo.

Certamente ainda não chegamos ao ponto de uma azeitada indústria turística – meta do Prefeito – mas mesmo que a arrecadação proveniente deste imediato aumento do fluxo de visitantes não seja suficiente para cobrir o vácuo deixado pela adoecida plataforma petrolífera, ainda assim nos serve de prova do acerto de Alair.

É sabido que mar calmo nunca fez bom marinheiro e nessas horas de borrasca que vivemos, temos de agradecer por termos um comandante que sabe como atravessar uma tempestade em segurança, levando o navio e seus passageiros á bom e seguro porto.

Toda tormenta é momentânea e em breve o sol voltará a brilhar.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

GOVERNAR COM RESPONSABILIDADE

POR J.VIGGIANI

Existe um grande valor e admiração de uma população que é governada por um gestor excepcional e muito competente. É o que acontece em Cabo Frio, as obras e outras ações do governo serve de termômetro para os cabofrienses e os turistas fazerem uma avaliação do quanto nossa cidade mudou. Atrelada a esta avaliação está à aprovação da maioria esmagadora da população ao governo e suas ações, que aumentou o número de empregos, estimulou o turismo e fez crescer a renda per capita do município.

A prova incontestável de tudo isso, é que hoje Cabo Frio é a quarta cidade mais procurada pelo turista mais exigente, que procura uma cidade extremamente agradável e harmoniosa, com muitas atrações e alegria, que junta, lindas praias, uma culinária variada e uma população carinhosa na forma como recebe os turistas. Uma cidade que se tornou famosa sem perder o seu charme.

Tudo isto se deve a forma como o município vem sendo governado, com seriedade no uso do dinheiro público e competência, Um governo preocupado com a qualidade de vida da população, com o futuro das crianças e adolescentes e com as perspectivas concretas de desenvolvimento social e profissional.  Por esta razão em outras vezes que este Prefeito governou Cabo frio, foi chamado carinhosamente de: “O Prefeito que mudou Cabo Frio”. E que continua mudando!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

ECOART FASHION SHOW VAI AGITAR CABO FRIO NESTE FERIADO

No Domingo de Páscoa (20/4), a Prefeitura de Cabo Frio, através da secretaria municipal de Turismo em parceria com a COMSERCAF promove desfile da Casa Artesanal, que irá exibir a importância do artesanato como fonte geradora de renda e fomento para o turismo e cultura local com trabalhos feitos com coco, semente, osso, alumínio e muito mais. O evento, nomeado Ecoart Fashion Show, começa a partir das 21 horas na Praça Verde do Guta, na Praia do Forte, com foco na arte dos recicláveis e inclusão social.

Idealizadora do projeto, a coordenadora do segmento artesanato da Secretaria de Turismo, Vânia Carvalho explica que uma das principais características do artesanato cabofriense é o trabalho com materiais reciclados.

- Uma recente parceria firmada com a COMSERCAF vem transformando o coco descartado nas praias e nas lanchonetes em matéria prima para verdadeiras obras primas.  A fibra do coco já chega triturada para os artesãos que já começam a produzir trabalhos de encher os olhos -, esclarece Vânia, destacando que a intenção do projeto é mostrar ao público como os artesãos podem transformar peças que vão para o lixo, em verdadeiras obras de arte.

- Queremos com isso conscientizar as pessoas sobre a importância de não jogar lixo na rua e na praia, porque elas mesmas podem transformar aquilo que não tem mais uso em trabalhos maravilhosos. Além disso, pessoas com problemas de inclusão social, podem se tornar capacitadas para esse mercado de trabalho, através do artesanato reciclável. Por isso, hoje a Coordenadoria de Artesanato se empenha em realizar um evento que além de apresentar peças maravilhosas dos nossos artesãos, também trará esse foco na economia sustentável que pode amenizar tantos problemas. – afirmou Vania.

A coordenadora defende que a Prefeitura, através da secretaria de Turismo é a grande incentivadora desta nova maneira de fazer artesanato em Cabo Frio, onde o segmento se completa com a questão ambiental no momento que fomenta a economia sustentável.

- Afinal, os turistas ficam encantados quando encontram peças feitas de material reaproveitado e resíduos naturais, agora em parceria com a COMSERCAF, que vai render muitos frutos depois dessa maravilhosa experiência.- disse.

O ator, produtor e agenciador de modelos Soró Luiz, o DJ Xampu e as Amigas da Mama de Cabo Frio estarão apoiando o evento que fecha as comemorações pelo dia do Artesão.

- No desfile, sete artesãos irão confeccionar as peças, mas na produção teremos a participação de 15 artistas. Os modelos têm ensaiado diariamente na Casa Artesanal, para apresentarmos o melhor. Teremos muitas surpresas. Vale a pena conferir e participar deste grande evento – profetiza a coordenadora.

Trabalhos em coco vão invadir a Praia do Forte

Trabalhos em coco vão invadir a Praia do Forte

Trabalhos em jornal também estarão na EcoArt Fashion Show

Trabalhos em jornal também estarão na EcoArt Fashion Show

Fonte: CF News

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

CABO FRIO VESTE A CAMISA DO FUTEBOL E ENSAIA GOL DE PLACA

Após boa campanha da Cabofriense, cidade vai investir R$ 25 milhões em estádio

Rio - Na Taça Guanabara deste ano, a Cabofriense ficou entre os quatro primeiros colocados. Desbancou grandes clubes, como o Botafogo, perdendo apenas para o Flamengo na semifinal. Teve, sem dúvida, o futebol mais vistoso dos times do interior. Motivo de orgulho para Alair Corrêa, de 71 anos, que em 1985 criou o estádio, batizado com seu nome. Foi lá que o time venceu todas as partidas realizadas neste campeonato. Contra os grandes, teve que jogar no vizinho estádio de Macaé, pois o acanhado Correão ainda não comporta público superior a 4 mil pagantes. Mas isso deve mudar.

Para ampliar o estádio e receber jogos de maior magnitude, o prefeito de Cabo Frio anunciou investimento de R$ 25 milhões no Correão, que terá a capacidade quadruplicada. De acordo com Alair Corrêa, o orçamento gira em torno de R$ 2 mil para cada novo assento e as obras devem começar em julho. “A ideia é entregar o estádio reformado no aniversário de 400 anos da cidade, no fim do ano que vem. Esse investimento é muito importante, porque o futebol é um divulgador da cidade”, conta.

Alair Corrêa, prefeito pela quarta vez, faz embaixadinhas na Praia do Forte: desejo de investir mais na Cabofriense Foto:  Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Alair Corrêa, prefeito pela quarta vez, faz embaixadinhas na Praia do Forte: desejo de investir mais na Cabofriense
Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

O investimento compensa. “Em termos financeiros, para se ter uma ideia, caso quiséssemos fazer propaganda de Cabo Frio na TV aberta, em horário nobre, gastaríamos R$ 700 mil por apenas um minuto de inserção. Quando os jogos da Cabofriense são televisionados, ganhamos 90 minutos de exposição gratuita. E vale lembrar que os jogos também são transmitidos para fora do Brasil”, comenta o prefeito, que quer fortalecer ainda mais o turismo na região. A vontade do prefeito é que o município possa injetar recursos públicos na Cabofriense. Para isso, já enviou um projeto à Câmara dos Vereadores, pedindo autorização para fazer tais investimentos.

Torcedor do tricolor praiano vibra até mesmo sozinho

A paixão pelo clube da Região dos Lagos já rendeu boas histórias ao carpinteiro e pintor de alvenaria Carlos Philipe Freire, de 29 anos. Certa vez, foi o único com as cores verde, vermelho e branco na arquibancada. Mesmo assim, estendeu faixa e bandeira. Nem a ausência de gols no jogo tirou o ânimo do torcedor solitário. A torcida adversária chegou a lhe oferecer refrigerante e salgadinhos.

Fundador e presidente do Movimento Uniformizado Povão (MUP), a torcida organizada da Cabofriense, ele se reúne para festejar com seguidores de outros clubes do interior. Quando o tricolor praiano joga em casa, arquibancada cheia é quase garantia, apoiando o time nos 90 minutos. “O jovem da região vê a Cabofriense como uma porta até mesmo para uma vida sadia, praticando esportes”, comenta Carlos que, fora da cidade, torce pelo Fluminense.

Valdemir Mendes, presidente do clube, tem folha de pagamento de apenas R$ 300 mil Foto:  Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Valdemir Mendes, presidente do clube, tem folha de pagamento de apenas R$ 300 mil
Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Na cola dos times grandes

Presidente da Cabofriense desde 2007, ano de fundação do clube, Valdemir Mendes acredita que os clubes do interior devem aproveitar as brechas que os grandes dão no campeonato estadual. “O Botafogo focou mais na Libertadores, melhor para nós. Que seja sempre assim.”

O valor atual pago a todo o time é inferior ao que muitos jogadores de clubes grandes recebem por mês. A folha salarial do time da Região dos Lagos está fixada em R$ 300 mil. O salário dos atletas é pago por patrocinadores, que recebem benefícios da prefeitura para divulgar seus produtos na cidade.

Fonte: O Dia

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

31 DE MARÇO

Lembro-me desse dia quando me encontrava dentro da Câmara, que foi nossa última trincheira na defesa da democracia na luta contra os golpistas. Hoje só falam em militares, mas a direita em Cabo Frio era atuante e os filhos dela eram piores do que os próprios militares, embora tempos depois ocupassem os partidos de esquerda porque sentiram que o regime militar não duraria muito tempo. De dentro da Câmara eu os via na Av. Assunção movimentando-se e torcendo contra os sindicalistas esperando que os militares tomassem o poder; já nós, filhos dos socialistas, comunistas ou sindicalistas sempre acreditamos na vitória do povo e ouvindo as notícias pela rádio Mauá, naquele momento, a única emissora que falava a verdade para os trabalhadores.

A rádio anunciava a vinda do Terceiro exército do Rio Grande do Sul para o Rio de Janeiro para defender com os tanques a manutenção do presidente João Goulart.

Hoje, nós que participamos daquele histórico momento, com risco de nossas vidas, ficamos perplexos com os historiadores de plantão, aqueles que nunca fizeram nada pela liberdade, postar artigo em seu blog tentando mostrar uma postura democrática que não têm. Por exemplo, um deles ao escrever hoje um artigo sobre aquele acontecimento histórico o fez como se dentro dele mesmo não tivesse o ranço da hipocrisia e do autoritarismo por atos nada nobres cometidos contra o povo, o direito e a lei. Como pode alguém tentar se passar por democrata se na verdade cometeu crime contra a democracia, sim porque democrata antes de qualquer coisa cumpre a constituição vigente e ela preconiza que os recursos do povo não podem ser usados em beneficio próprio.

Qual a diferença de um professor fantasma que usurpa seus colegas, recebendo salário sem cumprir suas tarefas, para um militar que tortura alguém? Torturar um trabalhador para dele tirar as informações, dói menos do que tirar o alimento de uma criança? Perguntemos então ficar em casa durante um ano inteiro recebendo salário sem trabalhar não é o mesmo que tirar o direito do saber de uma criança ? Isto também não é torturar uma mãe ou um pai por ver o filho sem aprender? Ao tentar com o seu blog fazer o leitor acreditar que nosso governo é opressor principalmente porque pôs um fim no recebimento ilegal do seu salário por não ter trabalhado; pode esse cidadão ter autoridade ou moral para criticar alguém que, como governante, o puniu com a Lei que finge defender?

Dos que hoje fazem política e fizeram parte daquele momento histórico e que são poucos, eu fiz parte com minha família.

Alair Corrêa
Prefeito

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

CABOFRIENSE NA FINAL DO CAMPEONATO CARIOCA

Com certa dificuldade acabamos agora de conquistar uma das quatro vagas para a final do campeonato carioca. Nosso Clube ADC já disputou uma final da taça Guanabara há alguns anos atrás, mas o carioca é a primeira vez que conseguimos disputar.

Estou muito feliz porque em apenas um ano a frente do município conseguimos ser o campeões da série B e já estamos por disputar quarta feira o cariocão no Maracanã. Convoco a todos os cabofrienses para virem ao Maracanã na quarta feira ou marcar uma reunião em suas casas com seus familiares e amigos para assistirem juntos pela TV Globo à partida. Cabo Frio será divulgado para o Brasil e para mais de 40 países por 90 minutos.

Foi isto que sempre preguei e trabalhei para termos uma cidade mais divulgada e, o futebol é, sem dúvida alguma, o caminho mais rápido e menos caro. Lamento apenas nesse momento que o ex-prefeito MM por falta de amor ao esporte e falta de visão administrativa para enxergar que o futebol é um grande divulgador de uma cidade, não tenha trabalhado para o time não cair para a segunda divisão, o que ,infelizmente, por incompetência e maldade caiu.

Alair Corrêa
Prefeito

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

CABOFRIENSE, PEQUENO QUE PENSA GRANDE NO CARIOCA

  • Time recebe ajuda da Prefeitura de Cabo Frio, e vai bem
  • Contra Botafogo, Vasco e Flu, duas vitórias e um empate
  • Sucesso em campo ajuda a divulgar a cidade, diz prefeito
Prefeito de Cabo Frio, Alair Correa falas aos jogadores da Cabofriense no vestiário do time

Prefeito de Cabo Frio, Alair Correa falas aos jogadores da Cabofriense no vestiário do time

RIO — Empatar com o Fluminense foi considerado um tropeço na Cabofriense. Sem medo de inverter os papéis, o time da Região dos Lagos pensa grande. Vencer os quatro maiores do Rio era a meta. Após ter superado Vasco e Botafogo, e “tropeçado” diante do tricolor, o objetivo passou a ser derrotar o Flamengo, na última rodada (23 de março), para conquistar com chave de ouro a vaga na semifinal. Planos nada modestos para um clube com folha salarial de R$ 300 mil e que pretende ir além dos limites da sua cidade.

— Ganhar pontos dos grandes encurta o nosso caminho para a vaga. Em nove pontos, conseguimos sete, e isso é fantástico. Contra o Flamengo, queremos entrar para ganhar. Temos crédito — disse Valdemir Mendes, presidente da Cabofriense e secretário de Fazenda de Cabo Frio.

TABELA: Jogos, resultados e classificação do Carioca 2013

Antes de se tornar estadual de fato, e ser um time não apenas de Cabo Frio, mas de toda a Região dos Lagos, a Cabofriense vive do incentivo municipal. Ainda que a prefeitura garanta que não invista dinheiro diretamente, o prefeito Alair Corrêa trabalha pela imagem do time e da cidade, seja na ajuda para obtenção de patrocínios (quatro, ao todo) para o time ou no apoio moral durante as palestras que costuma fazer no vestiário dos jogadores após as partidas.

— Vou sempre ao vestiário falar com os jogadores. Falo sobre futebol e também sobre a história do clube. Mas aproveito para pedir mais uma vitória — disse Alair, um dos fundadores do clube, do qual é presidente de honra, e de quem o estádio Correão herdou o nome.

Propaganda, alma do negócio

Para o prefeito, vencer não significa apenas mais três pontos na tabela: a campanha publicitária de Cabo Frio começa em campo.

— Vejo na Cabofriense a maior oportunidade de divulgar não só o time, mas a cidade de Cabo Frio. É uma visibilidade permanente, de alcance até internacional devido à transmissão de TV. Se fôssemos pagar por essa divulgação, não teríamos como — explicou Alair.

Enquanto o time subia na tabela, Cabo Frio ganhava espaço como um dos destinos mais visitados no verão. A secretaria de Turismo previu que 10 mil turistas passariam em fevereiro pela cidade, que tem 190 mil habitantes. Mas com o Estádio Correão vetado pelo Corpo de Bombeiros para jogos com times grandes, não houve chance de ver a Cabofriense em casa.

— Queremos reformar o Correão e aumentar a sua capacidade para 18 mil pessoas. Estamos próximos do Rio e temos um aeroporto internacional e belezas naturais abundantes. Queremos jogar com os grandes em nosso estádio e estamos trabalhando para isto, porque será ótimo para a cidade e para o time — declarou Mendes.

Jogar fora de Cabo Frio tem sido até melhor para a Cabofriense, e os resultados obtidos só aumentam a expectativa de o time chegar à semifinal. Pela primeira vez em sua história, a equipe venceu o Vasco em São Januário, por 2 a 1, de virada. Também derrotou, pelo mesmo placar, o time reserva do Botafogo, em Macaé, que foi palco do empate com o Fluminense. Este, quando o time vencia até os 47 minutos do segundo tempo. Aí, Fred salvou o tricolor.

— Esse empate deixou um gosto amargo, porque jogamos bem e levamos o gol no fim. Mas tudo bem, porque era o Fluminense — disse Mendes.

Não há mistério para o sucesso da Cabofriense. O time é modesto, mas experiente. Tem jogadores como o lateral-esquerdo Leandro, de 34 anos, ex-Palmeiras e Fluminense. E o atacante Fabrício Carvalho, de 36 anos, que tem feito os gols decisivos. O zagueiro Arthur Sanches passou pelo Flamengo, enquanto o atacante Bruno Veiga foi emprestado pelo Fluminense.

O técnico, que começa a chamar atenção, é o mineiro Alexandre Barroso. Apesar de pouco conhecido, é experiente, tem 51 anos, e já treinou times de menor expressão em Minas Gerais e o Al-Hilal, da Arábia Saudita.

“As metas estão sendo alcançadas aos poucos. Próximo passo é colocar a Cabofriense na semifinal do Carioca”, escreveu Barroso em seu twitter.

Fonte: O Globo

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS