O que é, como se manifesta e como tratar a insuficiência venosa crônica

O que é, como se manifesta e como tratar a insuficiência venosa crônica

05/05/2021 Off Por Alair Corrêa

Com o tempo e influenciada por fatores genéticos e externos, a insuficiência venosa crônica pode se instalar e se agravar. Conheça o processo, causas e formas de evitar seu aparecimento ou que esta se agrave.

Muito comum em mulheres e idosos, a insuficiência venosa é uma doença que se caracteriza pela incapacidade em manter um equilíbrio entre o fluxo sanguíneo que chega aos membros inferiores e o seu retorno.

O problema surge quando as válvulas que existem nas veias começam a falhar em sua atividade de manter o fluxo venoso.

Quando funcionam corretamente, estas válvulas abrem em sentido ascendente, permitindo a subida do sangue, e fecham logo depois, para evitar que o sangue desça novamente.

Porém, em pessoas com insuficiência venosa crônicas as válvulas dessas veias já não conseguem manter-se corretamente fechadas e o sangue acaba refluindo para as extremidades. Isso leva ao aumento de pressão nos membros inferiores e ao inchaço.

A insuficiência venosa crônica é uma doença que abrange quadros mais específicos como as telangiectasias, veias reticulares e varizes.

Fatores que influenciam no aparecimento da doença

Causada primordialmente pelo mau funcionamento das válvulas das veias, a insuficiência venosa crônica pode ter origem, como a maioria das afecções do sistema circulatório, na genética. Nos outros casos fatores externos levam ao surgimento da doença.

Casos de insuficiência venosa ou outras afecções vasculares na família já são sinais a serem levados em consideração na hora do exame diagnóstico.

Fatores externos também podem provocar a instalação da doença e entre eles os principais são os seguintes:

  • Obesidade
  • Gravidez, e uso de anticoncepcionais orais – os estrogênios aumentam a permeabilidade venosa e a progesterona promove a dilatação das veias
  • Vida sedentária
  • Tabagismo
  • Traumas prévios nos membros inferiores
  • Rotinas que incluam estar muito tempo em pé ou sentado

Como diagnosticar a insuficiência venosa crônica

A avaliação de história médica pessoal e familiar, a avaliação de fatores de risco associados e a análise da presença de outras doenças e duração dos sintomas detectarão a doença e a sua gravidade são os aspectos que o cirurgião vascular analisará.

O profissional também fará um exame físico para detectar sinais como hiperpigmentação, presença de veias varicosas, inchaço, eczema ou úlceras ativas ou cicatrizadas, por exemplo.

Para um diagnóstico mais acurado, poderá ser usado também – em algumas clínicas mais especializadas e modernas – o ecodoppler.

Com ele, o cirurgião vascular poderá se certificar das dificuldades de circulação na região afetada. Esse exame é externo, completamente indolor, e não tem nenhuma contraindicação.

Se ainda assim o diagnóstico não é conclusivo, pode ser necessário recorrer a um exame invasivo, designado por flebografia.

Como tratar a IVC

Os casos de insuficiência venosa crônica são tratados de acordo com a gravidade de cada um. Quando diagnosticado ainda no início, por exemplo, mudanças de hábitos por parte do paciente poder suficiente para conter o agravamento da doença. As indicações podem ser as seguintes:

  • Evitar a obesidade
  • Praticar atividade física com regularidade
  • Elevar as pernas quando em repouso
  • Evitar permanecer muitas horas de pé ou ficar muito tempo em locais quentes
  • Banhos quentes, saunas e evitar o uso de sapatos de salto ou muito rasos
  • Não permanecer na mesma posição por tempo prolongado

Tratamentos para casos já instalados

Como visto aqui, uma grande parcela da humanidade convive com este problema nos mais variados graus.

Existe casos em que mudanças de hábito listadas acima são capazes de frear o processo e permitem que o paciente siga sua vida sem que a doença evolua.

Porém, quando o quadro já é grave, é fundamental consultar seu médico. Após exame clínico e de imagem, ele indicará o melhor tratamento para seu caso específico.

Compressão das veias doentes

A compressão é o pilar fundamental no tratamento da IVC e é o único método terapêutico que, empregado isoladamente, é capaz de controlar a alta pressão da corrente sanguínea dentro das veias fragilizadas.

Cirurgia

O tratamento cirúrgico da insuficiência venosa crônica consiste na remoção do vaso sanguíneo doente. Esta microcirurgia, não requer internação e pode ser realizada na própria clínica, desde que a veia tenha um pequeno calibre.

Conselhos importantes

Como a doença se apresenta de diferentes formas e níveis de gravidade, existem alguns métodos de tratamento, cada um com suas vantagens e limitações.

O único especialista que deve indicar o melhor tratamento, é o cirurgião vascular.

É importante levar em consideração sempre que a doença venosa crônica é progressiva. Por isso, se nada for feito, muito provavelmente a tendência é o agravamento do quadro.